quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Uma ação de Deus


Satsang é de fato um grande momento para estarmos juntos. Satsang significa estar em boa companhia, que é estar na companhia dessa Consciência, dessa Graça, na companhia do Satguru. Portanto, é estar diante dessa Graça, dessa Presença.
Você compreende isso?
Assim, não se trata das palavras, mas da própria Presença. Você não está aqui pelas palavras, e sim pelo que acontece quando estamos juntos. Quando você vai a um professor, vai aprender alguma coisa. Quando você se dirige a um Mestre vivo, vai para entrar em contato com o que importa realmente: seu Estado Natural de Meditação, de pura Consciência; isso porque não existe nenhuma separação entre o Guru interno e o Guru externo.
A mente não pode investigar a mente, nela mesma. Essa mesma Consciência é uma só Consciência, assim como a realidade de Deus. Na mente, Deus é apenas um conceito, um pensamento, uma crença. Porém, Deus é real em seu Ser, não como uma crença (ela é somente uma imaginação). Deus é real como Consciência. Deus é real, o Guru é real, o seu Ser é real. Quando um trabalho está acontecendo aí, o Guru é real.
Esse nosso encontro é sobre isso.
A mente pode acreditar em sua habilidade de ativar isso, mas isso é apenas uma crença, também, outra imaginação. O Despertar, essa autorrealização, é totalmente uma ação da Graça, da Consciência, do Guru. Na Índia, isso é muito claro – o Guru é quem lhe dá esse Despertar; é uma ação de Deus.
Esse é um momento de Silêncio, de Presença; é um momento de Deus na sua vida. Isso é Meditação. Esse é um maravilhoso momento.
Hoje em dia existe uma mensagem Neoadvaita por aí, que diz que você não precisa de um Guru; que você “já é o guru”. Porém, nas publicações, você vê que todos aqueles que tratam disso, de uma forma direta e real, compartilham a mesma coisa, na chamada Advaita. Todos eles falam da importância do Guru, falam em orar ao Guru, cantar para o Guru, como faziam Ramana, Nisargadatta e muitos outros.
É esse Guru interno que é despertado pelo Guru externo. Existe somente Um nessa sala. Existe somente um Guru interno nessa sala, e esse único é você – o real Guru; somente nesse sentido que você é o guru.
[Silêncio] ... Sinta essa Presença! Percebem isso? Sentem isso? Isso é algo do Coração, não é da cabeça.
Na mente, tem-se dificuldade em aceitar algo assim tão simples: existe somente Um, que é essa Consciência, essa Presença. Isso não importa se está na forma de Marcos Gualberto, ou Ramana Mahashi ou Buda, ou outro.
A rendição é o abandono dessa ilusão, que é a ilusão desse falso “eu”. O “eu” e seus julgamentos e crenças, sendo a crença mais complicada aquela de que você é uma “pessoa”, ouvindo uma outra “pessoa” falando pelo Paltalk. Se você já está fora da crença desse falso “eu”, não precisa mais da crença no Guru, também. Enquanto você se ver como uma “pessoa”, verá alguém sendo um Guru, também, como uma “pessoa”.
Existe uma realidade presente, e ela se revela a si mesma como discípulo e Mestre. Tudo é uma aparição dessa Presença, dessa Consciência, ou seja, o corpo, a mente e o mundo, todos aparecem nessa Consciência, a qual é você em seu Ser. Existem todos os objetos, mas eles são apenas aparições, que aparecem na Consciência, que é a Realidade de tudo isso. Mesmo essa crença da “pessoa”, é uma aparição nessa Consciência, assim como qualquer outra crença e outro pensamento. Iluminação é o fim dessa ilusão – a ilusão de alguma coisa separada dessa Realidade, da Verdade, dessa Presença. A única Realidade é essa Consciência.
Este “eu” e o “mim” são apenas crenças, pensamentos, objetos nessa Consciência. A Consciência é aquilo que permanece sozinha; é o que permanece sempre, sem qualquer objeto, sem qualquer coisa separada dela. Esse é o fim da dualidade, da separação. Vejam o quanto é precioso isso tudo, o quanto é preciosa essa constatação da Verdade sobre quem você é, o que você é. Aí está a suprema Verdade, a suprema Felicidade.
Então, quando está nessa sala, você não está para aprender uma lição. Cada encontro, nessa sala, é o encontro com o seu Ser, com a Presença, com essa Realidade que Você É. Eu tenho procurado tornar a minha Presença disponível para aqueles que estão, de fato, interessados profundamente nisso. Essa minha Presença é o Ser.

Ok, pessoal! Podemos ficar por aqui!

*Transcrito a partir de um encontro online na noite do dia 10 de Janeiro de 2018 - Encontros todas as segundas, quartas e sextas as 22h - para participar baixe o paltalk app

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações