terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Qual é a natureza do Eu?


Satsang é um momento de investigação da natureza do EU – este EU que está ciente do que estou ciente. É isto que investigamos nesses encontros: “Qual a natureza do EU?” O EU que sabe que EU SOU e que está ciente que esse mesmo EU está presente e consciente.

Vocês compreendem isso?

Enquanto a natureza desse EU não ficar clara, a confusão ainda estará presente. Toda confusão está assentada na ignorância. Autorrealização é o fim da ignorância e, consequentemente, da confusão. Consciência é a Verdade sobre quem somos. Toda experiência ainda é a Consciência na experimentação, e essa é a natureza do Ser, a natureza da Verdade sobre quem somos, sobre nós mesmos.

A compreensão direta disso é Meditação. Mas isso não tem nada a ver com a postura que o corpo esteja assumindo em um dado momento, ou com uma determinada forma de respiração. Essa Consciência é tudo; é o Vazio Absoluto e, simultaneamente, o Todo Absoluto das aparições… Tudo é essa Consciência! Não existe nenhum objeto, nenhuma aparição separada ou fora dessa Consciência.

Todo erro, toda confusão, está na ilusão de que existe você e o mundo separado. Assim, você se vê dentro do corpo, o que é só uma imaginação do pensamento. Essa imaginação diz que existe um corpo, uma mente, um mundo e um “eu” dentro do corpo, controlando a mente! E você age nessa imaginação, dando verdade a isso!

No entanto, eu estou aqui, dizendo para você, que não existe nada disso, que tudo isso é só imaginação, é só um sonho que a mente tem produzido; estou dizendo que a mente nada mais é que imaginação, assim como o corpo e o mundo. A Verdade, a Realidade, Deus é onde a imaginação aparece. Mas o “deus” que a mente produz ainda é imaginação do pensamento, ainda faz parte do seu próprio mundo. Quando falamos da Verdade, da Realidade, de Deus, estamos falando da Natureza Real do EU – este EU que está ciente de que estou ciente, que é Aquilo que está sempre presente e consciente, que é essa única Realidade! Tudo mais é o sonho imaginário do pensamento, dessa mente, desse falso “eu”.

Vejam como isso é muito básico!

Esse EU Real, a Consciência, é algo além do vazio e de toda plenitude. Há sempre apenas a Consciência conhecendo a si mesma, e sendo em si mesma Tudo! É isso que os sábios, na Índia, chamaram de Advaita, a não-separação. Advaita significa que não há dois, não há sujeito e objeto; tudo é só o sujeito, inclusive o objeto; o verdadeiro EU, além de sujeito e objeto, além do vazio e da plenitude. Sempre existe somente a Consciência. Isso é indefinível, indescritível… Isso é Meditação, é esse espaço de pura Consciência! Agora é um momento no qual você está em Meditação, um momento de pura Consciência, de pura Realidade. Estamos sempre apontando para esta mesma “Coisa”. Aqui, nós devemos aceitar a limitação da linguagem, e sentir este momento, este instante, esta Graça, esta Presença. Não se preocupem com a fala – Isso não está na fala mesmo! Isso está em Você, como sua Natureza Verdadeira. Você é essa Realidade! Você é a Verdade!

Usamos a fala, no entanto, estamos sempre apontando para a sua limitação. Caso contrário, podemos ser vítimas do grande perigo de entrarmos num castelo intelectual, de mera compreensão intelectual da Advaita. Esse castelo é um grande refúgio para esse falso “eu”. Hoje em dia, isso está muito comum, estamos vivendo um momento assim. Não aprendam essas falas ou terminarão presos dentro desse castelo. Advaita não é uma questão de estudo. Advaita é não-dualidade, é não-separação; é uma questão de Realização e não de conhecimento intelectual. Assim sendo, é o Estado Natural de Meditação.

Há uma diferença entre a expressão intelectual desse conhecimento e a expressão verbal dessa Sabedoria – isso parece ser a mesma coisa, mas não é! A expressão intelectual desse conhecimento, nem de longe consegue arranhar a superfície da ilusão do “eu”; enquanto a expressão verbal dessa Sabedoria é como um poderoso míssil, carregando uma poderosa ogiva nuclear. Então, a palavra do Sábio é mais que palavra, porque ela vem do Silêncio, vem desse Poder.

Estar em Satsang é estar diante desta Presença, desse poderoso impacto de Poder e Graça, que é a expressão verbal dessa Sabedoria!



*Fala transcrita a partir de um encontro online na noite de 13 de Dezembro de 2017
Encontros online todas as segundas, quartas e sextas as 22h.
Para participar baixe o Paltalk App em seu comptador ou smartphone, é gratuito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações