sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Tudo isso precisa terminar



Aqui, neste encontro, estamos diante de uma forma real de ouvir sobre isso. Nós podemos entrar em contato, a princípio, com o lado meramente teórico e verbal desse assunto, ou podemos ter a oportunidade que vocês estão tendo aqui, onde nosso interesse não é em palavras. Não temos nada a acrescentar a você do ponto de vista de um ensinamento, não temos nenhum conhecimento. Portanto, não se trata de algo para ser aprendido – não nesse encontro, nessa sala. Se o seu objetivo é aprender sobre isso, eu recomendo procurar algum livro que possa informá-lo sobre isso. Livros e palestras são ferramentas importantes para aprender sobre uma determinada matéria ou assunto.

O assunto que nos interessa nesse encontro é a investigação da Natureza Real, da Verdade sobre nós mesmos. Como a Verdade não se encontra em palavras, só há uma forma de se investigar isso, e essa forma é esse “ouvir correto”. Então, quando você se depara nesse encontro com o Silêncio que nasce dessa observação interna, você pode se deparar com a Verdade. Portanto, não há nada de intelectual nisso!

Essa ação, essa atividade implica nessa ausência de qualquer ideia preconcebida. Nós não estamos, aqui, lutando para chegar a um objetivo imaginado – Sabedoria não é o resultado disso. Você não constata a Verdade do seu ser lutando. Dessa forma, você nem imagina e nem luta. Portanto, a imaginação, a luta e a base de uma ideia preconcebida é totalmente falsa. Nós não podemos contar com isso em Satsang.

Satsang significa encontro com o Ser – com seu próprio Ser – a natureza da Verdade. Então, isso não é uma matéria de estudo. Aqui, você investiga a natureza da ilusão, uma vez que a natureza da Verdade não pode ser alcançada. Assim, você alcança uma visão da ilusão. Uma vez que a ilusão é vista, não há mais qualquer ilusão ali. Então, quando o falso é visto como falso, o Verdadeiro já está presente. Assim, nós não traremos o seu Ser de algum outro lugar, não vamos alcançá-lo e puxá-lo com uma corda. Não se trata de adquirir ou de capturar a Verdade, mas de uma simples constatação de sua presença quando a ilusão termina. Quando a ilusão é vista, ela desaparece… então ela termina. Essa é a grandeza, a excelência, a beleza de Satsang.

Você não pode adquirir isso diante de um professor, tudo o que ele pode lhe dar é conhecimento. Tudo que um livro, uma palestra ou um professor podem lhe dar são novas instruções. Somente a Verdade expressa, comunica a Verdade. A Verdade é o próprio Ser, a própria Consciência… Então, aqui, temos a importância de um verdadeiro Guru. Esse é o verdadeiro Guru, é quando você tem a felicidade de se deparar com essa Presença do lado de fora, essa Presença externa é o Sábio, aquele que é a Verdade! Um Sábio, Aquele que está em seu Estado Natural, não é um professor.

Então, percebam o que significa a oportunidade de ouvir diretamente isso? Ouvir isso é estar diante da Verdade, conhecer sobre isso é estar diante de um professor.

Esse conhecimento, hoje em dia, está em toda parte! Você tem fácil acesso a esse conhecimento! Porém, ouvir isso de verdade é muito raro… Satsang real é estar diante do Guru. E, aqui, o Guru é o próprio Ser, a Consciência, a Graça, a Verdade. Então, seu próprio Ser é essa Presença. Esse momento é único para você. Não estamos lhe ensinando nada, estamos apenas diante do Silêncio. É desse Silêncio que brota a resposta a “Quem sou eu?”. Esse é resultado da Meditação e não do conhecimento, da experiência, da especialização, da habilidade de comunicar ou entender isso.

A Verdade não pode ser alcançada, como já colocamos, ela pode apenas despertar! Quando tudo está completamente pronto, quando todos os obstáculos são afastados, todas as crenças, conclusões, opiniões, julgamentos, imaginações… quando todos os desejos terminam, então a Verdade se expressa. 

O movimento da mente acontece dentro de você assim: “Quando eu olho para mim, eu observo claramente isso… Sou forçado a admitir que cada dia sou prisioneiro de centenas de desejos!” Então, não há Felicidade, não há Liberdade, não há Paz! Se a investigação daquilo que somos é o fim de toda ilusão, então nós temos esse despertar – o despertar da Verdade. Tudo isso precisa terminar, essa é a condição para essa revelação, para essa manifestação Real.

Não existe uma quantidade de estudos que possam ser feitos, de livros que possam ser lidos, ou palestras que possam ser escutadas para que isso aconteça. O que eu estou dizendo é que é necessário um mergulho em si mesmo, para além da mente. É necessário um trabalho de completa renúncia a esse falso “eu”. Por isso. eu recomendo a todos estarem em contato com a Verdade, diretamente! Nesse sentido o Guru é essencial, e um trabalho de entrega e rendição é fundamental, sem isso não há trabalho acontecendo.

Você poderá passar uma vida inteira estudando sobre esse assunto, lendo todos os livros que já escreveram – e que ainda serão escritos – ouvindo todas as falas, aprendendo sobre tudo isso, dominando o assunto e até fazendo palestras sobre isso. Poderá tornar-se, inclusive, um grande professor conhecido mundialmente, como nós temos em nossos dias! No entanto, tudo que teremos é uma pessoa instruída, culta… Meu convite a você é para desaparecer! É o fim dessa pessoa, é o fim de todo conhecimento. Essa Realização é a Realização do que eu chamaria de desconhecido. A Realização do Desconhecido! Esse é o Real Conhecimento.

A Realização é a constatação de um conhecimento que nunca será conhecido. Portanto, nunca poderá ser ensinado ou aprendido. Essa é a Arte da Felicidade, que é Meditação, Ser, Sabedoria. Isso está presente quando você não está, quando todo o sentido de pessoa evapora.


*Transcrito a partir de uma fala em encontro online na noite de 25 de Outubro de 2017 - Encontros todas as segundas, quartas e sextas as 22h - Baixe o App Paltalk e participe!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações