segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Pare de confiar em pensamentos


Ramana dizia que é tão difícil para um ajnani [não-iluminado] se livrar dos pensamentos, como é difícil para o Jnani [Iluminado] se agarrar a algum pensamento. A dificuldade que aquele que não realizou o Ser tem para se livrar dos pensamentos é a mesma dificuldade que aquele que realizou o Ser tem para se prender a algum pensamento. A verdade é que você já está realizado. Então, o seu trabalho é esse de não se ligar a pensamentos. Existem algumas coisas que vocês podem fazer, ou que precisam fazer, para não se prenderem a pensamentos. 

Os pensamentos são sempre ligados a pessoas, coisas, objetos, situações e lugares. O segredo é você observar qual o modelo que funciona aí, que tipo de pensamentos são repetitivos e de qual tipo eles são. É só observar. Não é fazer alguma coisa contra eles, mas somente observar. O ego aí tem um modelo de pensamentos, que são aqueles pensamentos recorrentes; então, esse é o modelo do ego aí. Você não faz nada com relação ao ego, nem com relação aos pensamentos; você observa cuidadosamente, pacientemente. É a mesma experiência de assistir a um filme, quando você vê o filme e fica só observando o que vai acontecer; não faz nada, só observa qual a próxima cena e o que vai acontecer no momento seguinte. 

Você não faz nada. Apenas observa cuidadosamente, pacientemente, com bastante atenção, o que o pensamento está mostrando, pois ele tem uma energia e ela tem que se esgotar. Você vê essa energia se esgotar pela observação. Você observa, e aí o pensamento vem e some. Aquele pensamento volta, e você observa novamente que ele vem e some… Você faz isso até aquela energia se esgotar, até aquele pensamento ser vencido pela observação. 

Isso é um trabalho paciente, sem pressa. Às vezes você vai ser capturado, e quando isto acontece, você não sabe que está capturado e se embola. Mas daqui a pouco algo acontece e você se destaca novamente daquilo. Esse algo é a presença da Consciência. O processo começa de novo: aquilo aparece, você o observa, e aquilo some... Aparece, você observa, e some. Nesse exato momento da observação, não tem "alguém", somente a observação. O momento que tem "alguém" é quando você está embolado. Esse é um belo exercício de “olhar” para todo o barulho da mente... É um belo exercício. 

O sentimento é somente uma energia sem forma. A forma que ele assume é a aquela que o pensamento dá para ele. Mas essa energia do sentimento é uma energia que aparece atrelada a uma ou outra forma de pensamento. Seu Ser está além de sentimento e pensamento. O sentimento, somente como uma energia, não consegue permanecer vivo sem o pensamento. Repito: seu Ser está além de pensamento e sentimento. O pensamento precisa do sentimento, precisa buscar essa energia do sentimento para dar uma forma. Quando o pensamento consegue fazer isso, aparece o sentimento na forma de: “estou triste”, “estou alegre”, “estou com raiva”, “estou aborrecido”, “estou entediado”…

Estes sentimentos precisam do pensamento, de uma história, e você tem que parar de alimentar a história. Quando você para de alimentar a história, essa energia do sentimento se dissipa rapidamente, porque ela não tem um corpo, pois o corpo do sentimento é o pensamento. O ego vive muito viciado em dar forma, em encontrar forma via pensamento e se expressar; essa é a vida do ego. Parem de valorizar a história e, assim, o sentimento perde o poder de se firmar aí, como uma entidade se expressando por meio da raiva, do mau humor, do medo, do desejo, da tristeza, da melancolia, etc. Esses sentimentos bons e ruins são todos sentimentos aos quais o pensamento está dando forma para uma suposta entidade aí, que é esse "você". 

Pare de confiar em pensamentos. Se parar de confiar em pensamentos, você vai parar de sentir-se vítima, de achar que precisa fazer alguma coisa, que tem alguma responsabilidade — que deixou para trás alguma coisa ou que foi responsável por algo. Tudo isso são histórias que o pensamento conta, que vão procurar dar forma a essa entidade através do sentimento. Isso é puramente egoico. Não tem ninguém aí! É somente um vício, uma mania, um hábito do ego se manter. Você está além do sentimento, além do pensamento. Você está além dessa reação, dessa sensação interna com uma história mental. Você está além disso. 

*Transcrito do trecho de uma fala no encontro intensivo em novembro de 2017 na cidade de Fortaleza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações